Rachel Khoo: livro pequena cozinha em Paris

25 set

Não sou uma pessoa muito voltada para as artes culinárias, não consigo cozinhar muito rápido e raramente faço um prato mais elaborado, no geral faço apenas comidas comuns do dia a dia.
Mas as vezes sou impactada por uma súbita vontade de cozinhar algo diferente, vontade que muitas vezes já se transformou em arrependimento quando vi o resultado do que tinha cozinhado. No geral começo a cozinhar empolgada até perceber que não tenho todos os ingredientes e acessórios de cozinha que preciso para preparar alguma receita, esta suposta falta de acessórios e ingredientes as vezes também se torna uma desculpa para desistir. Cansei de ver programas de culinária em que eles sempre tem todas as chefes, potes e acessórios, sempre em uma cozinha imeeensa, um dia trocando de canal descobri a Rachel Khoo com seu programa “Little Kitchen in Paris”, ela é uma nova chef  inglesa que criou um restaurante em Paris em seu apartamento, um restaurante que atendia somente 02 pessoas por dia.

Juntei os meus utensílios mais bonitos aqui de casa para fazer esta foto

Juntei os meus utensílios mais bonitos aqui de casa para fazer esta foto

Rachel cozinhava em um pequeno fogão 02 bocas e improvisando a maior parte dos utensílios , virei fã quando vi ela utilizando panelas e formas amassadas e super gastas, talvez por me.lembrar um pouco da forma como a minha mãe sempre cozinhou, improvisando tudo, ingredientes e procedimentos.

Ela tem um canal no youtube, segue o link para uma das muitas receitas que ela publica por lá:

 

 

Decidi que iria tentar fazer uma das receitas que ela ensinou em seu programa e procurando na internet descobri o livro com as receitas do programa, antes de comprar on line quis ver o livro pessoalmente e me surpreendi com um livro super fofo cheio de fotos, desenhos e explicações inclusive culturais sobre as receitas.

Rachel na sua pequena cozinha

Rachel na sua pequena cozinha

Vi que ela tem um outro livro também, Rachel Kitchen Notebook, aceito de presente.

Adoraria saber desenhar assim

Adoraria saber desenhar assim

Comprei o livro e passei um dia marcando as receitas que eu quero fazer,  a primeira foi Batata gratinada, ou em francês “Gratin Dauphinois”.

Primeira receita que preparei!

Primeira receita que preparei!

Segui a receita religiosamente, usei até medidores, o que pra mim é uma raridade.
A batata ficou uma delícia, mas esqueci de tirar foto, então por favor acreditem no meu depoimento, prometo tirar foto da próxima receita.

Até  a próxima Paty Dica!

Anúncios

Filme: Mesmo se nada der certo / “Begin Again”

20 set

 

Dia frio, preguiça dominando tudo, zapeando  na tv com aquele felicidade de estar em casa de pijama me deparei com o filme “Mesmo se nada der certo” ou no original “Begin Again”. A palavra que define este filme é sensibilidade. O filme é de John Carney , o mesmo diretor do filme “Apenas uma vez”(Once,2006), é possível notar muitas semelhanças entre os filmes, são filmes sobre música e são contados com a mesma velocidade, a diferença principal provavelmente foi o orçamento, enquanto Once foi criado com um orçamento baixíssimo e atores desconhecidos Begin Again foi criado com a clássica fórmula hollywoodiana, que utiliza inclusive Nova Iorque como cenário.

A história tem foco em 02 personagens principais: um produtor musical falido e uma mulher que muda de país para acompanhar seu namorado que começou a fazer sucesso na indústria musical. A união destes dois personagens ocorre por conta da música, mas o filme fala sobre muito mais do que isso, fala sobre a possibilidade de criar arte com poucos recursos, sobre as mudanças em planos muitas vezes tão concretos e sobre a possibilidade de se reinventar.

Para quem ficou curioso em assistir Once:

 

 

Eu tenho dúvidas sobre qual dos filmes é melhor, mas pela atuação do simpático Mark Ruffalo acho que prefiro Begin Again. E vocês? Qual preferem?

Até a próxima Paty Dica

Quando em Roma (When in Rome) – Parte 1

18 set

DSC08112Alguns amigos recentemente me pediram algumas dicas sobre a clássica e maravilhosa cidade de Roma e aproveito para compartilhar com eles e com vocês algumas coisas que aprendi nesta última estada pela cidade, começo dizendo que para aproveitar a Itália é preciso se entregar ao seu caos, que é um caos combinado com muito vinho e pizza.

Considero estas dicas preciosas e acredito que  poderão salvar e muito seu tempo na cidade, com o euro a preço de ouro você não pode perder seu dia em filas:

Tênis:  eu entendo que você está na Itália, quer usar todos os seus sapatos, sapatilhas e sandálias mais lindas em um dos pólos da moda mundial, mas esconda este seu instinto fashion e vá de tênis. A cidade é praticamente toda de paralelepípedos e muitos monumentos e museus possuem escadarias enoooormes. Seu calcanhar e lombar irão te agradecer no final do dia.

Ruas de paralelepípedo na entrada do Vaticano

Ruas de paralelepípedo na entrada do Vaticano

Roma Pass: Não compre! Este bilhete inclui ingressos para todos os museus de Roma + transporte público, a princípio olhando aqui do Brasil parece uma boa opção mas não comprar foi a primeira dica que recebi de uma amiga romana, assim que cheguei na cidade vi que ela estava certa por 02 motivos básicos:

Motivo 1: Admita que você não irá conhecer todos os museus e galerias da cidade em uma curta estadia turística, provavelmente só conseguirá ir nas atrações principais, ou seja, vai pagar caro por museus e galerias que não visitará.

Motivo 2: o transporte público é tão ou até mais caótico que o de São Paulo. Existem poucas linhas de metrô, pois durante a construção encontravam monumentos e locais históricos. Minha dica neste item é: caminhe. As principais atrações não ficam muito distantes,  é totalmente factível caminhar entre os pontos turísticos, a minha impressão é a de que os mapas de Roma não tem uma representação muito fiel a distância real entre as atrações.

Coliseu: meu local predileto de toda a cidade, para os chatos de plantão afirmo que sim sei sobre a sua história sangrenta, mas é um local que estava totalmente atrelado a minha adolescência, foi o primeiro ponto turístico que sonhei em conhecer. A dica para visitar o Coliseu é ir no período da tarde, dica que também daria para o Foro Romano, a maioria das excursões leva centenas de pessoas pela manhã, na verdade os próprios turistas tem essa mania de acordar cedo para ir no local mais famoso da cidade, o resultado desta escolha é visto em forma de filas quilométricas. Chegue umas 3 horas antes do horário de fechamento, no meu caso em meia hora de fila compramos os ingressos e conseguimos aproveitar seu interior com calma, na verdade até calma demais, pois ficamos tão distraídos tirando fotos que não percebemos o alarme indicando o fechamento, eu bem que pensei que havia algo estranho quando estávamos sozinhos tirando fotos no ponto mais concorrido, tomamos uma pequena bronca de uma segurança mas as fotos incríveis e exclusivas lá dentro valeram a pena. Se você estiver um dia a noite de bobeira também vale a pena ir à noite, a iluminação deixa o Coliseu ainda mais impressionante.

Fila de meia hora para entrar no Coliseu

Fila de meia hora para entrar no Coliseu

Praça do Vaticano: as quartas-feiras e aos domingo o papa Francisco (Chiquinho) realiza benção na praça do Vaticano às 12h, sua melhor chance de ver o papa ao vivo. Foi muito emocionante vê-lo na janela acenando, na foto apareceu só um pontinho, mas tem um telão ao vivo que comprova que quem está na janela realmente é o papa.

12h em ponto o papa apareceu para abençoar a multidão

Museu do Vaticano: compre o ingresso com antecedência pela internet! Queria que alguém tivesse me contado isso na primeira vez que visitei o museu, pois ficamos quase 2h30 na fila. Para comprar é simples, basta acessar o site: http://biglietteriamusei.vatican.va/musei/tickets/index.html e reservar a data e horário planejado. Imprima seus ingressos e leve para identificação no guichê de entrada, é importante levar o comprovante impresso pois só o deixarão entrar para pegar os ingressos quando mostrar seu comprovante. Quando chegar na porta do museu você verá 02 indicações: fila para quem comprou na internet e fila para comprar ingresso, neste momento você irá no fundo do seu coração ficar grato por ter lido esta dica neste blog tão bacana. Feito isto boa vista, aproveite! Ah, já ia esquecendo, você pode entrar com alguns itens de comida, se você for como eu que morre de fome depois de 15 minutos andando em museus (sim, não sei o que acontece, a fome aperta nos museus) pode levar uma maça, barrinha, lanchinho ou batatinha, pois é permitido.

Basílica de São Pedro: é impossível não se assustar com as filas na porta da igreja, que diferentemente do Coliseu ocorrem em qualquer horário. Sabe aquele dinheiro que você economizou quando não comprou o Roma Pass? Pois é, chegou a hora de gastá-lo contratando um guia local. Na porta da igreja muitos destes guias oferecem seus serviços, principalmente na fila, você pagará entre 12 e 16 euros para cortar a fila entrando com estes guias, fique tranquilo que não é nenhum processo ilegal, estes guias criam grupos e entram por outra entrada destinada as excursões. Sei que para nós brasileiros, que ganhamos nosso rico dinheirinho em real pode parecer caro, mas você ganhará pelo menos 2h00 que ficaria na fila.

Pelo tamanho deste post você pode ver que Roma é uma cidade cheia de atrações, farei uma continuação, se tiver algo que você quer saber ou se usar uma destas dicas e quiser contar como foi fique à vontade!

Até a próxima Paty Dica

Livro Americanah – Chimamanda Ngozi Adichie

20 jun

Já fazia algum tempo que eu queria ler o livro Americanah, da autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, havia lido alguns comentários em alguns blogs e no Instagram de algumas pessoas que eu sigo.

Americanah

A vontade de ler o livro estava aliada a 02 objetivos para 2015: ler ao menos 02 livros por mês e ler algo em inglês.

Admito que fiquei praticamente 02 semanas enrolando para ler umas 35 páginas, com desculpas clássicas como: “estou muito cansada pra ler” ou “ler em inglês não é a mesma coisa”. Mas para não encostar o livro novamente (sim porque comprei em outubro de 2014) defini que só passaria para outro livro quando terminasse este.

O livro conta a história de Ifemelu, uma mulher nigeriana que decidiu sair da Nigéria para estudar nos EUA e para fugir a ditadura que se instalava no país e acabou ficando na “américa” mais tempo do que imaginava. Engraçado ver a personagem chamando os EUA de américa, tenho uma amiga americana e sua família que mora aqui no Brasil se refere aos EUA da mesma forma. A personagem descreve todos os conflitos de sua teórica adaptação ao país e como percebeu que era negra somente quando chegou nos EUA.  Para descrever sua percepção como estrangeira e negra em um país onde a diferença entre raças influencia muito as atitudes e comportamento Ifemelu cria um blog para expor seus pensamentos.

O livro também tem romance, Ifemelu saí da Nigéria com a promessa de encontrar com seu namorado do colegial , Obinze, nos EUA, este encontro não acontece e em alguns capítulos a autora descreve como foi a vida de Obinze enquanto Ifemelu estava na fora.

A autora também aproveita para levantar muitas questões feministas, principalmente relacionadas a cultura Nigeriana. Chimamanda ganhou muita popularidade quando realizou uma palestra no TED com o tema: “Sejamos todos feministas”, título de um de seus outros livros disponível gratuitamente para download no site da Amazon: Link para download

Após alguns capítulos fiquei tão envolvida na leitura que as demais páginas do livro passaram rápido demais, em alguns momentos esquecia que estava lendo em inglês e ficava mais presa nos comentários e expressões em idgo, dialeto nigeriano.

Recomendo a leitura para todos que gostam de histórias originais, de personagens reais que cometem erros e acertos e que questionam o ambiente em que vivem.

#Sejamos todos feministas

Até a próxima Paty Dica

 

 

Filme: Antes da Meia Noite

16 jan

ImagemNa minha opinião o melhor da série. Diálogos simples e ao mesmo tempo profundos, é possível se identificar em muitas falas das personagens, que muitas vezes expressam seus medos e sentimentos mais reais.

É fácil se convencer de que todo o filme está se passando em apenas um dia…aliás um lindo dia na Grécia.

O filme é uma sequência do “Antes do Amanhecer” e “Antes do por do sol”, aliás este post deveria ser dedicado ao meu amigo André que sempre diz que só assisto a filmes com nomes que envolvem “amanhecer, sol, amanhã”, no fim das contas talvez ele esteja certo.Imagem

É de certa forma um romance, mas não um clichê de hollywood com os atores se beijando na chuva, muito  mais sincero e honesto.Julie Delpy a atriz principal também foi indicada ao Oscar, estou na torcida. cp>

Afirmo que é o meu predileto da série, mas é o seu também?

Até a próxima Paty Dica

 

Paty

Girls – nova gerão de Sex and the City?

11 jan

Seria Girls a nova versão de Sex an the City para esta geração? talvez seja.

Girls é o tipo de série que,assim como os filmes do Wody Allen, me deixa incomodada com a abordagem de alguns temas, senti aquela sensação de vergonha alheia enquanto assistia a alguns episódios da série, que se mostrou bem original, com reflexos de conflitos reais.

A autora da série, Lena Duhan caiu nas graças da crítica e do público, tanto que a série já está caminhando para a 3a temporada.

Quando assisti aos primeiros episódios fiquei incomodada mas também curiosa como que aconteceria com a Hanna (Lena Duhan – sim, ela escreve, atua e dirige) e fui surpreendida muitas vezes, a série conta com o clássico formato de 04 amigas com personalidades distintas que vivem em NY e tentam sobreviver a fase dos 20 e poucos anos sem sucesso na carreira ou no amor, mas mesmo com seu formato clássico ainda apresenta alguns temas com formatos inusitados.

Em comum com Sex an the City temos a cidade de NY e as cenas de nudez da maioria das personagens.

Para quem gosta de se sentir questionado em relação aos seus valores e atitudes vale a pena sair da zona de conforto e assistir a alguns episódios.

Até a próxima Paty Dica
Girls

Game of Thrones – o vício 4a.temporada em 6 de Abril

9 jan

Novamente viciada em uma série que ouvia todo mundo comentando e ignorava com aquele clássico “humpf” de desprezo.abo de saber que no dia

Acabo de saber que no dia 06 de Abril estreará a quarta temporada!!

Começamos timidamente assistindo a um inocente primeiro episódio, que termina de um jeito tão surpreendente que a a única coisa que conseguimos comentar quando terminamos este primeiro episódio foi: – “Vamos ver mais um?” , série viciante.

Claro que como como toda série que tem como referência a Idade média é repleta de cenas violentes, bem características do próprio período, há também algumas cenas de sexo, brinquei inclusive que todas as atrizes da série já mostraram seus seios em alguma cena, o que de acordo com alguns amigos “agregou valor ao camarote”. A competição entre reis e famílias pelo poder é repleta de guerras e traições, com muitas mortes, algumas totalmente imprevisíveis.Game of thrones

Mesmo assim a história é envolvente e é realmente fácil passar um final de semana inteiro sem sair do sofá, com direito a pedir delivery para não parar de assistir nem para comer.

Além de alimentar meu próprio vício assistindo a várias temporadas na sequência, sim terminei a 3a e agora estou na turma dos desesperados pela 4a, viciei vários amigos na série, e do nada recebo whatsapps falando: “Não acredito que fulano morreu”.

Para quem gosta de aventura e jogos de poder vale a pena, a série também pode ser considerada uma ótima analogia com o ambiente corporativo.

só para os viciados...

só para os viciados…

Até a próxima Paty Dica

%d blogueiros gostam disto: